Na hora de iniciar uma pintura, muitas pessoas possuem dúvidas de como reduzir consumo de solvente para tintas. No entanto, o uso de solvente para tintas deve ser muito bem pensado dentro de obras e cabines de pinturas. A primeira consideração é notar sua função: tornar possível e/ou facilitar a aplicação da tinta, através da diminuição da viscosidade da última. Aplicada a tinta, cem por cento do solvente usado deve ser retirado da película para que ocorra a cura total.

Pode-se então concluir; sem medo de errar; que o solvente não acrescenta qualquer melhoria às características da película seca. Então ele entra e sai da película. Isto significa que o empresário compra; muitas vezes vários tipos de solvente e os joga fora; dinheiro jogado no lixo!!! Mas não é só isso! Quando; os diversos tipos de solvente saem da película da tinta, eles contaminam o meio ambiente e os funcionários envolvidos no processo; causando nestes últimos doenças, afastamento do trabalho e processos na justiça. Sem contar os problemas com órgãos ambientais.

Quanto menos solvente for usado num processo de pintura, menores os problemas e os gastos, que como citei acima, não se tratam apenas do custo do solvente. Há empresas que compram solvente industrial ou solvente de limpeza para usar na limpeza dos acessórios de pintura, por terem custo inferior ao dos solventes para diluir a tinta. Entretanto, a periculosidade  e a toxidez são as mesmas; além de em alguns casos o solvente industrial não ser o adequado para dissolver determinadas resinas e a limpeza não fica boa.

Vou passar 4 dicas que vão ajudar na economia de solventes para tintas:

#1 – Reduza o comprimento da mangueira – quanto menos mangueira for usada, menos solvente será usado na hora da  limpeza. O tamanho da mangueira deve ser o mínimo necessário para que o trabalho flua normalmente.

#2 – Use equipamento adequado à tinta – tinta muito viscosa deve ser aplicada com pistola airless sem necessidade de diluição; mas pode também ser aplicada com outros tipos de equipamentos spray, rolos e trinchas; porém com necessidade de diluição; usando-se em geral de 5 a 10%  de solvente; conforme recomendação do fabricante da tinta.

#3 – Faça o mínimo necessário de limpezas do sistema – se está usando tinta 1 componente, a limpeza do reservatório deve ser feita apenas na conclusão do trabalho, pois no término dos expedientes a tinta que sobra pode ser guardada; se bem tampada; durante alguns dias. Caso seja sua rotina a necessidade de muita troca de cores para tintas 2 componentes ou muitas trocas de diferentes tipos de tintas, considere a aquisição de 1 ou mais equipamentos. Haverá necessidade de investir, no entanto o retorno deste investimento não vai demorar quando for colocado na ponta do lápis os custos de solvente para as constantes trocas e a quantidade de homem-hora usada nestas trocas.

#4 – Considere reciclar solvente – se já tentou vários caminhos para reduzir o seu custo com solvente e mesmo assim o valor despendido com solvente ainda é muito grande, devido as circunstâncias do seu trabalho; considere a aquisição de um equipamento para reciclar solvente industrial. Você não vai precisar de muito espaço e pode obter uma qualidade muito boa de solvente para reutilização. Entre em contato com alguns fabricantes deste tipo de equipamento e faça as contas para verificar em quanto tempo este investimento vai te retornar e acredite, você pode pode ter uma surpresa.

 

Faça parte agora da lista VIP e esteja sempre informado com mais conteúdos que entregamos inteiramente Grátis

Seu email está 100% seguro.

 

 

Gostou das dicas? Deixe seu comentário abaixo, compartilhe com os amigos.


Rosemary Coutinho
Rosemary Coutinho

Rosemary coutinho é fundadora do site www.opintorconsultoria.com, é uma profissional formada em Química Industrial com mais de 20 anos de experiência na área de pintura, tintas e corrosão. Fez diversos cursos de aprimoramento nesta área, inclusive o de pintura industrial fornecido pela ABRACO e é também qualificada pela Petrobras como Inspetora de Pintura Industrial. Possui profundo conhecimento na área de qualidade, certificação em ISO 9000; documentação de qualidade, data-book de obras e é auditora interna da ISO 9001.

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.