Se você quer entender o que é corrosão química mas detesta química; este artigo é para você. Vou provar que você não precisa ser químico para prevenir, corrigir e entender de corrosão.
Neste artigo, vou definir de maneira simplificada o que é corrosão química e tornar a corrosão um assunto de fácil compreensão.

Vou também comentar quais os tipos de corrosão que mais atinge a indústria e a construção civil. A corrosão química do aço é um tema de suma importância para as indústrias, porque trata da deterioração do aço; material usado amplamente em suas instalações e equipamentos e se não prevenida ou corrigida pode causar muito prejuízo.

Por se tratar de um processo químico, a corrosão e proteção de metais é vista como um bicho papão por muita gente, devido a esta matéria ter sido a pedra no caminho de muitos; quando estudantes.

O estudo da corrosão envolve basicamente o conhecimento de química, eletroquímica, metalurgia, termodinâmica, físico-química e cinética química. Por isso a imagem que se tem é de que se trata de um tema muuuiiiito difícil quando na realidade, não é bem assim.

A corrosão é um processo que corresponde ao inverso dos processos metalúrgicos de obtenção do aço. As reações de corrosão são espontâneas. Isto significa que estas reações acontecem nas condições normais do ambiente e com os componentes encontrados no ar e no meio ambiente. Então, em outras palavras, corrosão é a deterioração do aço pela ação química ou eletroquímica do meio.

A corrosão é um processo oposto ao processo metalúrgico onde se observa a volta espontânea do aço à forma em que foi encontrado na natureza: combinado com o oxigênio. Nas metalúrgicas a energia é adicionada para a formação do aço.

A IMPORTÂNCIA DA CORROSÃO 

Importante

Os processos corrosivos estão presentes em todos os locais e a todo instante da nossa vida diária. Diversas atividades enfrentam o problema de corrosão: indústrias químicas, petroquímicas, naval, construção civil, automobilística; nos meios de transportes aéreo, ferroviário, marítimo, rodoviário; sistemas de telecomunicações; e até na odontologia e na medicina. Como exemplo, na odontologia o uso de metais na correção da arcada dentária exige material resistente a saliva, alimentos ácidos ou alcalinos e algumas solicitações mecânicas; para evitar a corrosão.

Sem um sistema eficiente para controlar e acompanhar os diversos tipos de corrosão de metais, inevitavelmente uma empresa vai se deparar com as sequelas que ela vai gerar, vou citar algumas:

  • Segurança: corrosão localizada que resulta em fraturas repentinas de partes críticas de equipamentos, aviões, pontes; causando perdas materiais e também de vidas humanas;
  • Interrupção de comunicações: corrosão em cabos telefônicos e em sistemas de telecomunicações;
  • Preservação de monumentos de valor histórico: a corrosão atmosférica acelerada pelos poluentes atmosféricos como óxidos de enxofre que formam ácidos sulfurosos e sulfúricos, componentes das chuvas ácidas, que atacam não só os materiais metálicos, mas também ocasionam a deterioração de materiais não metálicos como mármore e argamassa usado em obras de grande importância histórica.

Estima-se que uma parcela superior a 30% *do aço produzido no mundo, seja usada para reposição de peças, partes de equipamentos e instalações deterioradas pela corrosão.

*dado retirado da referência II.

 Portanto, a importância do estudo da corrosão e proteção dos metais está focada em:

  • Viabilizar economicamente as instalações industriais construídas com materiais metálicos;
  • Manter a integridade física dos equipamentos e instalações industriais;
  • Garantir a máxima segurança operacional, evitando paradas não programadas e redução do lucro;
  • Garantir a máxima segurança industrial, evitando acidentes e poluição ambiental

 

Manual Gratuito de Ferramentas e acessórios para tratar aço e ferro antes de pintar

Seu email está 100% seguro.

 

O CUSTO DA CORROSÃO

Custo

Com o avanço tecnológico que o mundo alcançou, o custo da corrosão se elevou e se tornou um fator de grande importância. É estimado em média de 3,5%* do produto interno bruto de um país industrializado. Trata-se de valores na ordem de bilhões de dólares. Por isso o estudo da corrosão em profundidade traz muita economia para empresas e consequentemente para um país.

*dado retirado da referência II.

O método de menor custo que existe para proteger o aço da corrosão em diversas atividades, e é aplicado mundialmente é a pintura industrial. Por isso quando se fala em corrosão, a pintura industrial faz parte do tema e é o revestimento mais utilizado para a proteção anticorrosiva nos dias atuais.

A pintura industrial, é aplicada extensivamente, principalmente nas superfícies expostas ao meio ambiente; devido não só ao custo competitivo que possui; mas também porque é de fácil aplicação e eficiente no controle da corrosão.

Entretanto, para que os resultados esperados com a pintura industrial não falhem, é necessário considerar detalhes de projeto que podem interferir no desempenho da pintura além da necessidade de adotar uma abordagem sistêmica na realização da aplicação. Em outras palavras, não é simplesmente pintar, mas executar o processo de pintura com técnicas corretas e adequadas; e tomar medidas de projeto que garantam a durabilidade e o sucesso esperado da pintura.

TIPOS DE CORROSÃO 

De forma geral, os processos corrosivos são classificados em 2 grandes grupos:

  • Corrosão química: quando há o ataque de algum agente químico diretamente sobre determinado material, que pode ou não ser um metal. Este tipo de corrosão não precisa da presença de água para ocorrer.
  • Corrosão eletroquímica: são os processos de corrosão mais frequentes na natureza e se caracterizam basicamente por necessitarem da presença de água líquida; ocorrem na temperatura ambiente e são realizados formando pilhas de corrosão. Este tipo de corrosão também é conhecido como corrosão em meio aquoso, devido ao fato de necessitar de água líquida para a formação do eletrólito.

Os tipos de corrosão dos metais ou os tipos de oxidação em metais, podem se manifestar de diversas formas e eu vou descrever aqui as principais, de maneira que você entenda melhor o vocabulário usado no estudo da corrosão e compreenda as suas diferenças. Estas formas da corrosão se manifestar são definidas principalmente pela aparência da superfície corroída:

  • Corrosão uniforme: quando a corrosão se processa de modo uniforme na superfície atacada.
  • Corrosão por placas: quando o produto de corrosão se forma em placas que se desprendem.
  • Corrosão alveolar: quando há corrosão localizada e com o aspecto de crateras.
  • Corrosão por pite: Quando há corrosão localizada, mas com maior intensidade e com profundidade maior que o diâmetro do local de desgaste.
  • Corrosão intergranular ou intercristalina: quando a corrosão se forma no contorno dos grãos do metal.
  • Corrosão transgranular ou transcristalina: quando se dá em forma de trincas que se prolongam pelo interior dos grãos do metal.

MÉTODOS PARA CONTROLAR A CORROSÃO

Para controlar a corrosão eletroquímica, é preciso parar ou reduzir a intensidade das pilhas de corrosão. Para isto, é preciso ter o controle da velocidade de corrosão que é o controle das pilhas de corrosão. No caso da corrosão química, o controle vai ser necessário no crescimento da película de oxidação.

Existem várias maneiras para combater e controlar a corrosão que ocorre nas condições normais da natureza junto com a presença de água; vou listar algumas com exemplos para você entender melhor:

  • Uso de Inibidores: são compostos químicos que adicionados ao meio corrosivo diminuem a sua agressividade. Existem vários tipos de inibidores: anódicos ou passivadores, catódicos, inibidores pelo mecanismo de adsorção, sequestradores de oxigênio. Eles são utilizados quando o meio corrosivo é líquido e trabalha em sistema fechado. Como exemplo os inibidores são aplicados em sistemas de tratamento de água, limpeza química e decapagem ácida e sistemas de oleodutos e gasodutos.
  • Revestimentos Metálicos: são películas metálicas colocadas entre o metal que se quer proteger e o meio corrosivo. O mecanismo de proteção destes revestimentos metálicos mais comuns, são por formação de produtos insolúveis, por barreira e por proteção catódica. Os processos mais comuns de revestimentos metálicos são: cladização que são chapas de aço inoxidável colocadas sobre aço carbono; galvanização que é um processo de zincagem do aço por imersão em banho de zinco fundido; metalização que se trata da pulverização e aspersão de um metal fundido sobre o metal que se quer proteger e eletrodeposição que consiste na deposição de metais que estão em forma iônica em um banho.
  • Revestimentos Orgânicos: são películas orgânicas colocadas entre o metal que se quer proteger e o meio corrosivo. Como exemplo temos a pintura industrial, revestimento com borrachas e revestimentos de alta espessura para tubulações enterradas.

 

O QUE É MAIS IMPORTANTE

 

 Para sintetizar tudo que foi aqui definido, é importante estar consolidado o conceito de que a corrosão do aço é a reação química oposta à que acontece nas siderúrgicas; é o ferro querendo retornar ao seu estado original como foi encontrado na natureza. Mas como o aço é o material mais utilizado no mundo para estruturas, equipamentos, meios de transportes, indústrias químicas, petroquímicas, indústria naval, sistemas de telecomunicações, construção civil e muitas outras atividades, o estudo da corrosão e dos diversos tipos de corrosão em metais se tornou de extrema necessidade para que as sequelas causadas pela corrosão sejam reduzidas a um patamar que possa ser absorvido por todos que necessitam do aço.

Foi visto que existem vários tipos de corrosão e várias maneiras de combater e controlar a corrosão; no entanto; o método mais usado no mundo para proteger o aço, é a pintura industrial por ser o método que apresenta a melhor relação custo x benefício e por isso, o tema corrosão está intimamente ligado a técnicas de aplicação de tintas. Diante do exposto, a tecnologia de pintura industrial é uma das matérias que precisa ser estudada profundamente pelos especialistas em corrosão.

 

Manual Gratuito de Ferramentas e acessórios para tratar aço e ferro antes de pintar

Seu email está 100% seguro.

 

Se você está cansado de ter prejuízos por ter que refazer diversas vezes o processo de pintura para retirar corrosão, O Pintor Consultoria pode te ajudar. Coloque suas dúvidas e necessidades aqui. Expresse sua opinião sobre este artigo informando se foi útil para você. Eu responderei a todos os questionamentos. Se sua empresa está tendo prejuízo com corrosão e você está precisando resolver um problema específico, entre em contato para agendarmos uma consultoria. Você também pode nos contatar pelos telefones: (21) 2278-2057, Cel: 21-988772057

Bibliografia:

  1. Corrosão – Vicente Gentil
  2. Pintura Industrial na Proteção Anticorrosiva – Laerce de Paula Nunes e Alfredo Carlos O. Lobo

Rosemary Coutinho
Rosemary Coutinho

Rosemary coutinho é fundadora do site www.opintorconsultoria.com, é uma profissional formada em Química Industrial com mais de 20 anos de experiência na área de pintura, tintas e corrosão. Fez diversos cursos de aprimoramento nesta área, inclusive o de pintura industrial fornecido pela ABRACO e é também qualificada pela Petrobras como Inspetora de Pintura Industrial. Possui profundo conhecimento na área de qualidade, certificação em ISO 9000; documentação de qualidade, data-book de obras e é auditora interna da ISO 9001.

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.